domingo, 12 de junho de 2011

Sol- inteira

   Quando é que as pessoas decidem que vão namorar? É, que querem ficar juntas, construir coisas, ir à lugares, ter intimidades? Será que é justamente quando você se dá conta que passa muito tempo sozinho e que precisa de alguém para dividir com você a "solidão?" Quando é que as pessoas começam a se amar? Será que é quando você passa horas pensando naqueles sorrisos, naqueles carinhos e naqueles abraços e queria que todos esses momentos durassem para sempre? Quando é que o amor acaba? Quando não há mais tesão, não há mais carinho, não há saudade? Já parou para pensar que hoje é tão difícil pensar nessas coisas? Eu pelo menos acho dificílimo!


Você pode estimular seu cérebro lendo sei lá, Freud ou Levistrauss. Eu particularmente não acho que uma pessoa é pouco inteligente quando não entende essa "lógica" e as peripécias do amor. Tantos autores dedicaram tantos anos e livros, tantos partos, esforços de subjetividade e sensibilidade para descrever, ilustrar o que é e como pode ser isso tudo. Foram formidáveis, geniais é verdade. Pessoa é pessoa ! Mas eu pergunto-lhe, pra quê? Se você não sente ou nunca sentiu uma coisa pulando do seu peito ao ver uma pessoa ou não sabe como é deixar de comandar o seu corpo quando beijou outra, sinto muito em iformar-lhe meu caro, não adiantou nada, você não sabe nada de amor! Eu humildemente não sei... E por que, quando ser solteiro passou a ser algo tão doloroso assim? É errado? É ser infeliz? Um dos meu autores preferidos diria : "Os solteiros é plural então até que nem tão solteiros assim." Ele dedica um texto inteiro só para problematizar a solteirice e o casamento. Eu adoro esse texto, leio, releio, treleio. Por quê? Ora, porque eu sou solteira! E porque apesar de toda a dialética do Melamed( o autor) tudo o que eu penso enquanto leio suas palavras tão bem colocadas é : “Eu queria ter um namorado assim’ e sabe o que ele me diz? “solteiro quer dizer o sol inteiro. E ainda: só, mas inteiro.”.

Sabe Michel, eu concordo, eu acredito. Hoje não foi um dia ruim. Amanhã continuarei a ser sol, ser inteira. Porque somos e seremos até o que o amor nos encontre sol- inteiros.

6 comentários:

  1. O amor entre homem e mulher nao acaba, pois ele nem existe. O que existe é apenas um tesão junto com uma obsessao que se da nome de paixão... nao sei de tudo na vida mais se de tudo que ja aconteceu em minha vida, então posso-lhe afirmar isso, é melhor se solteira!!! rs

    ResponderExcluir
  2. HAHAHAHAHAHAHAHA
    "Achoquesoufoda." Nanny.

    Obrigada por comentar e compartilhar comigo suas reflexões sobre a vida.
    att Livia. (RISOS)

    ResponderExcluir
  3. Sabe que eu senti maior firmeza no que Leilane falou!? O homem é pretensioso demais para amar, e eu digo homem em sua forma geral, homem e mulher. A pretensão os impede de amar com paixão. Não sabem respeitar limites, não sabem enxergar o amor genuíno, não sabe ver o amor com toda a sua delicadeza, sutileza, não sabe amar com amor. O homem e mulher foram criados para serem amigos. Disso eu te certeza, tenho você. <3

    Lindo texto. E, já disse: Sinto-me inteiro quando leio.

    ResponderExcluir
  4. ahuahashasuha
    adorei isso de "Sol-inteiro". Muito bom, se paramos pra pensar. Mas penso q nem o Sol é sozinho. Ele tem a Lua, que ainda que opostos, um completa o outro...

    Andei beeeem sumida pelos motivos de sempre, e ainda por cima, me mudei de casa, tudo uma bagunça. Mas tentarei estar mais presente!
    Tem postagem nova, confere lá!
    Beijos*-*
    evesimplesassim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi,vim conhecer seu Blog,amei e já estou super seguindo,parabêns por esse cantinho e muito sucesso aqui!

    Te convido para conhecer meu Blog e se gostar e puder seguir,será muito bem vinda,sinta-se em casa!

    Ah,tem 2 sorteios rolando por lá,participa! :)

    http://umamulherbemvestida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Acho que todo mundo é meio carente, e em algum momento precisa de alguém. Pode ser um amor de amigo, de amante ou namorado. Saber que alguém está ali e se importa. A gente fica querendo provar que é auto suficiente, como se querer estar com alguém fosse crime. E não é, amar é bom. Quem não gosta de um cafuné? Mas cada um tem seu tempo, tem uma pessoa, e um jeito de sentir isso.

    - http://fernandaamylice.blogspot.com/

    ResponderExcluir